quarta-feira, 22 de dezembro de 2010


Quanto tempo eu perdi tentando me iludir. 
Desejando que você estivesse aqui.
Que o 'nós' um dia pudesse existir.
Quis ser sua princesa, mas o nossa castelo você não quis construir.
Lhe peço que não espere a minha morte, 
Para que você deixe de ser forte, 
Dizendo que eu sempre fui o suporte
Para que você nesse mundo pudesse residir.
Saiba que te amei
Mas infelizmente a vida toda não esperarei.
Terei de seguir...Procurar um alguém
Com quem eu possa dividir
Os sonhos que existem
Só por ti.
Quem sabe o destino
Possa uma nova chance nos dar
Pois eu não quero ter que lhe deixar
Mas como eu te amo
Deixo-te livre
Pois prefiro vê-lo sorrir
Do que lhe ter em meus braços ao meu peito molhar
Com as lágrimas de um alguem que jamais ira me amar
Mas mesmo assim jamais irei deixar de lhe desejar.



P.S Achei essa poesia perdida em uma agenda velha escrevi ela em 29/07/2007.

Um comentário:

Gabriel Revlon disse...

lindo, lindo e lindo.
quando a poesia está no sangue não tem jeito. você escreve com o coração. E eu gosto muito de suas poesias. =D