terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Novembro se foi e não me levou ninguém

Devo ser grata ao meu fatídico novembro, por ter sido extremamente delicado e notar quando já não se faziam mais necessárias as chacoalhadas insanas que ele me dava todos os anos.
Obrigada por ter me levado somente o meu antigo estado civil e ter me deixado as pessoas, obrigado por todas as lágrimas que me fez derramar terem sido por motivos de alegria, e todas elas abraçadas aquele a quem eu amo.
Novembro se foi e quase no meio de dezembro o texto me veio, me vejo inconscientemente me provando todos os dias que os novembros não são mais os mesmo dos últimos anos e nunca mais serão,  que eu não sou mais a mesma e nunca mais serei, eu não sou mais uma menina em busca do amor, em busca de fazer dar certo algo sozinha, sou uma mulher que agora só está em busca de manter o amor que o homem do sorriso bonito trouxe pra minha vida e ficou.
Não existem mais olhos verdes a me deixarem confusas, não existem mais distâncias trazendo insegurança, não existem esperas intermináveis pelas decisões alheias, não há mais submissão, só existe parceria, só existe mãos dadas e ombros aos quais se apoiar independente do motivo.
Hoje eu sei que dizer "novembro, que seja doce" é muito bonito, mas é mais bonito ainda olhar pra traz e ver como o ano todo teve o meu sabor preferido.

Um comentário:

Will disse...

Bonito! Autêntica! Convincente!